Marcos Antonio Gospel

Loading...

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Parada Gay usa textos bíblicos

A 15º Parada do Orgulho Gay engrossou o coro contra os parlamentares religiosos que estão trabalhando para impedir leis como o projeto de Lei 122/2006 que criminaliza toda opinião contra o homossexualismo. Para isso, a Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) lançou para este ano o tema “Amai-vos uns aos outros: basta de homofobia”.
Durante todo o percurso da passeata que aconteceu neste domingo, 26, os mais de 4 milhões de participantes ouviram discursos contra os “fundamentalistas religiosos” que militam contra os projetos que favorecem os homossexuais.
Apesar da quantidade de participantes, de acordo com uma notícia do portal IG, poucos deles estavam na Parada pensando em reivindicar seus direitos civis, tanto que em um dos discursos do deputado federal Jean Wyllys alguns participantes chegaram a gritar “Toca Lady Gaga”.
Por outro lado um dos trios elétricos estava sendo coordenado pelo Centro de Referência da Diversidade e de acordo com a coordenadora, Irina Bacci, cerca de 400 pessoas, de várias religiões estavam apoiando, entre eles padres, pastores e ateus.
Esse trio trazia uma faixa com a citação do Salmo 85:10 que diz “A justiça e paz se beijarão”. A intenção era protestar contra os discursos feitos durante a Marcha para Jesus que aconteceu no último dia 23.
Alguns integrantes da manifestação seguram uma faixa com a frase “Exerça a fé e pratique o amor ao próximo. Diga não à homofobia”. Também estavam sendo distribuídas 200 camisas e 3.000 botons com a frase: “O amor lança foram todo o medo”.

Fonte: Folha

Organização afirma que Marcha para Jesus alcançou 5 milhões de pessoas Evento foi realizado nesta quinta-feira (23) na Zona Norte de São Paulo. Organizador evitou criticar lei de combate à homofobia.

A organização da Marcha para Jesus informou que o evento realizado nesta quinta-feira (23) na Zona Norte de São Paulo mobilizou cerca de 5 milhões de pessoas. A Polícia Militar não confirmou a estimativa de público.

O apóstolo Estevam Hernandes - presidente da Marcha - afirmou que no ano passado, o evento reuniu cerca de 3 milhões de pessoas.
O líder religioso evitou reclamar da transferência da Marcha para Jesus da Avenida Paulista, onde era realizada até 2006, para a Zona Norte de São Paulo. "A Paulista não comportaria a Marcha do tamanho que ela está", afirmou.
Hernandes também evitou dar impulso a declarações polêmicas. Questionado sobre outros líderes evangélicos que se manifestaram contra o projeto que criminaliza a homofobia, afirmou que todos têm direito à liberdade de expressão.
"As pessoas têm liberdade política e de expressão. A marcha não é um evento político. São opiniões pessoais que a gente não tem como controlar", afirmou.
Segundo Hernandes, o povo está politizado. "'É claro que os líderes continuam influenciando as pessoas quanto à votação, mas acredito que não neste nível", afirmou.
Questionado sobre a ausência do jogador Kaká, que se desligou da igreja, Hernandes afirmou: "O Kaká é uma grande personalidade. Esse ano nós temos alguns jogadores, como o Julio César, do Corinthians, mas a grande estrela é Jesus".

fonte:G1